sexta-feira, 2 de junho de 2017

Perdemo-nos na noite…

Perdemo-nos na noite…
Encontramo-nos um no outro…
Voltamos…
Chegamos um pouco cansados, mas o sorriso rebelde denunciava …
Entramos no nosso mundo, só nosso… Abracei-te e roubei-te um Beijo…
Acendi as velas que estavam sobre as mesinhas… Hoje o perfume quero o teu… Esse perfume que me deixa louco por Ti…
Tirei-te do pescoço a echarpe roxa e deixei sobre a cama… Abraçados, corri o fecho do teu vestido que deslizou pelo teu corpo e caiu aos teus pés… Desapertas-te a minha camisa e deixas-te cair no chão sobre o teu vestido…Com as mãos no meu pescoço abraçaste-me e o Beijo foi longo… As minhas mãos subiam nas tuas costas com os dedos a sentir a maciez da tua pele… Os corpos colados, soltei o fecho do teu soutien ele caiu também no chão, os teus seios emergiram Belos… O teu corpo tremia, o meu também…
A echarpe preta e cor-de-rosa ainda estavam sobre a cama, a preta com aquele nó coloquei sobre os teus seios com o nó entre Eles, atei com um laço e os fios das pontas penderam pelas tuas costas… O tecido fino de seda não escondia a pele macia dos teus seios, os mamilos erectos ameaçavam perfurar o tecido… Beijei-os…
Atei à tua cintura a echarpe roxa… As pontas em cadilhos caíam pelas tuas coxas …
Assim ‘vestida’ disse-te ao ouvido num sussurro: 

-Adoro-te!...
Enquanto me despojavas da restante roupa dizes-me: - Quero-te e hoje sou tua dona!...
A echarpe cor-de-rosa serviu pra me prender as mãos… Empurraste-me sobre a cama e fiquei à tua mercê…
O desejo apoderou-se de mim… As mãos presas aumentavam o desejo de te abraçar, acariciar, percorrer todo o teu corpo, uma ordem tua e deixei-me levar por Ti… Os teus lábios percorriam todo o meu corpo, cada pedaço da minha pele, de todos os meus poros emanava desejo por ti… Intenso… E o teu perfume seduzia-me…
O teu corpo sobre o meu… Pele na pele sentíamo-nos…
Dizes: -Desejo-te…
Ajoelhada na cama, no teu corpo só a roupa improvisada…
Acariciaste-me… Senti-te… Acariciaste-te pra mim… Uma mão em ti… Outra em mim…
Enquanto com a tua mão me tocavas… Tocavas-te… Os nossos corpos estremeceram… E, pelo quarto elevou-se o perfume do Amor feito… Deitaste-te sobre o meu corpo e saboreaste-me… Saboreei-te…
O meu prazer foi o teu prazer…
Sobre mim ao ouvido num sopro disses-te:
- Fiz pra Ti, assim fui tua e foste meu, queria ver-te explodir de prazer para mim…

Abraçados adormecemos…

Sem comentários:

Enviar um comentário