domingo, 15 de novembro de 2015

A Vizinha Tocou...(2)

.................... 


............... ..... No dia seguinte de manhã, encontraram-se no elevador… Ele olhou-a e disse bom dia… Ela vestia como sempre e respondeu, mas com o ar distante de sempre, ninguém imaginaria que o se tinha passado entre eles na noite anterior…
À noite à mesma hora…Tocou na campainha do apartamento dele…
Ele com a toalha atada à cintura abriu…
- Desculpa o incómodo, vinha ver se o meu computador já estava pronto.
- Ainda não, hoje ainda não lhe toquei, entra, vem ajudar-me…
Ela entrou… Calçava sapatos de salto alto…
Mini-saia e casaco, uma bolsa pequena ao ombro… Ficou parada à porta a olhar o chão…
- Sinto-me como uma fêmea que vem à procura de macho… Queres ser o meu macho? Sinto-me assim hoje!... 
A porta fechou-se…………………
Ele pegou-lhe na mão com carinho…Ela rodou o corpo e ficou de costas, ele soprou-lhe o cabelo e o pescoço num sopro suave…
- Que bom! Disse ela… - Tão bom!!!... Depois Beijou-a nos lábios, no rosto e no pescoço com suavidade… Levou-a até ao sofá e agarrou-a por detrás pela cintura… Deixou a toalha cair… Apertou-lhe a barriga e de um impulso abriu-lhe o casaco, os botões saltaram como que disparados… De roupa interior ela só trazia uma tanguinha que ele depois descobriu… Agarrou-lhe os seios e inclinou-a sobre o assento do sofá, ela apoiou os joelhos no assento e as mãos no encosto… A bolsa ainda no ombro caiu-lhe sobre o braço… Com as pernas um pouco afastadas sentia nas coxas o pénis dele roçar-lhe a pele… Ele tentava levantar-lhe a saia, mas sendo justa não facilitava… Simplesmente agarrou e fez força, as costuras não resistiram e soltaram-se separando a saia em dois pedaços… A tanguinha parecia que queira protege-la, mas era barreira insuficiente para tanto desejo deles… Uma mão arrancou a tanguinha que se despediu do corpo dela em bocados… Ela arqueou as ancas e recebeu-o assim por detrás como uma fêmea recebe o macho… Uma estocada quase lhe tirou os sentidos e eles gritaram de prazer… Suspiros ofegantes saiam das gargantas deles e instantes depois um clímax atingiu aqueles corpos sedentos de desejo e prazer um pelo outro…
A noite foi longa… Ou pequena, para eles… Deixaram o prazer de se terem dominar-lhes os sentidos…
De dia eram iguais a todos os dias, poucas palavras trocadas, quase desconhecidos…
À noite soltavam o instinto animal e entregavam-se um ao outro pelo desejo de sentirem prazer…

 O computador continuava em cima da secretária dele….......................