sexta-feira, 16 de junho de 2017

Raptou-a ao Almoço

Foi busca-la para almoçar…
Ela apareceu vestida como ‘matadora’…
Botas altas e calças pretas leguis, blusa Vermelha, larga a descair pelo ombro e com as costas à vista…
Entrou no carro e ele tremeu de desejo… Aquele ombro deixava-o em estado de choque… Os seios sem soutien mostravam os mamilos rijos debaixo da blusa que apesar de ser larga ameaçavam furar o tecido… As pernas moldadas pelas calças justas e com botas até ao joelho seduziam-no por demais… O carro seguiu e não parou no restaurante…
- Onde me levas?...
- Levo-te comigo… Vem!... Nada receies…
Colocou-lhe a mão no ombro e deixou deslizar debaixo da camisola até encontrar os seios de mamilos rijos… Deixou a mão perder-se entre os seios e os dedos tactearem os bicos tesos…
E excitação tomava conta daqueles dois corpos…
O carro parou entre árvores junto da praia, o tempo estava cinzento e ameaçava chover… Ali aquele sítio estava deserto… O carro ficou quieto mas as mãos deles não… Ela procurou-o sobre as calças que mostravam o contorno masculino… Sobre as calças sentiu-lhe o pénis duro de tesão… Sabia que assim vestida provocava isso nele… Gostava!... As mãos dele meteram-se debaixo da blusa e agarravam-lhe os seios com força… Deixou uma mão meter-se debaixo das calças justas… Encontrou as calcinhas já molhadas, muito molhadas, mais um pouco e debaixo das calcinhas acariciou-lhe o clítoris rijo de tesão… Os dedos tentavam entrar nela… Forçou a penetrar-la com os dedos mas as calças justas dificultavam os movimentos, embora a pressão fizesse ela vibrar com os movimentos no clítoris… Retirou a mão e saboreou o sabor dela nos dedos… Já tinha o soltado e fazia movimentos de vai e vem… Acima e abaixo… O pénis molhado dava-lhe tesão… Ela abaixou-se e meteu-o inteiro na boca… Chupava e rodeava a cabeça com a língua… Ele soltou um gemido quase a explodir… Levantou a cabeça, olhou para ele e sorriu… Ele saiu do carro, foi à volta e abriu a porta dela… A blusa descaída mostrava os seios e os mamilos erectos… Impossível resistir…

Puxou-a para fora do carro… Abraçou-a por detrás, agarrou-lhe os seios e pela barriga forte de encontro a ele… Abriu as calças, soltou o pénis duro e latejante e encostou-se a ela que sentiu aquele membro duro nas nádegas…. Já nada fazia parar… Baixou-lhe as calças, arrancou-lhe as calcinhas… Inclinou-a sobre o carro e penetrou-a forte… Enterrou-se todo nela… Gemeu ao sentir o pénis penetrá-la com força até ao fundo… Mais uma estocada e ele tocou-lhe no ponto mais sensível da sua vagina e tremeu de prazer e desejo… As humidades misturavam-se… Mais uma estocada forte que levou o pénis até ao fundo da sua fonte do prazer e era impossível resistir ao orgasmo… Gemeram e soltaram suspiros de prazer… Quase caíram no chão ao sentir o orgasmo que lhes tirou os sentidos….
Compuseram-se já dentro do carro… Tinha os corpos molhados com suor derramado pela intensidade e pela chuva que já ia caindo…
- Que bommm… O teu corpo estava a ferver de tão quente…
- Ainda está…Fazes sexo tão bem… Adoro sexo contigo!...
- Hoje estavas irresistível… Que até me tiraste a fome….
- Vamos almoçar?...

- Não sei… Ainda tens fome?...   

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Perdemo-nos na noite…

Perdemo-nos na noite…
Encontramo-nos um no outro…
Voltamos…
Chegamos um pouco cansados, mas o sorriso rebelde denunciava …
Entramos no nosso mundo, só nosso… Abracei-te e roubei-te um Beijo…
Acendi as velas que estavam sobre as mesinhas… Hoje o perfume quero o teu… Esse perfume que me deixa louco por Ti…
Tirei-te do pescoço a echarpe roxa e deixei sobre a cama… Abraçados, corri o fecho do teu vestido que deslizou pelo teu corpo e caiu aos teus pés… Desapertas-te a minha camisa e deixas-te cair no chão sobre o teu vestido…Com as mãos no meu pescoço abraçaste-me e o Beijo foi longo… As minhas mãos subiam nas tuas costas com os dedos a sentir a maciez da tua pele… Os corpos colados, soltei o fecho do teu soutien ele caiu também no chão, os teus seios emergiram Belos… O teu corpo tremia, o meu também…
A echarpe preta e cor-de-rosa ainda estavam sobre a cama, a preta com aquele nó coloquei sobre os teus seios com o nó entre Eles, atei com um laço e os fios das pontas penderam pelas tuas costas… O tecido fino de seda não escondia a pele macia dos teus seios, os mamilos erectos ameaçavam perfurar o tecido… Beijei-os…
Atei à tua cintura a echarpe roxa… As pontas em cadilhos caíam pelas tuas coxas …
Assim ‘vestida’ disse-te ao ouvido num sussurro: 

-Adoro-te!...
Enquanto me despojavas da restante roupa dizes-me: - Quero-te e hoje sou tua dona!...
A echarpe cor-de-rosa serviu pra me prender as mãos… Empurraste-me sobre a cama e fiquei à tua mercê…
O desejo apoderou-se de mim… As mãos presas aumentavam o desejo de te abraçar, acariciar, percorrer todo o teu corpo, uma ordem tua e deixei-me levar por Ti… Os teus lábios percorriam todo o meu corpo, cada pedaço da minha pele, de todos os meus poros emanava desejo por ti… Intenso… E o teu perfume seduzia-me…
O teu corpo sobre o meu… Pele na pele sentíamo-nos…
Dizes: -Desejo-te…
Ajoelhada na cama, no teu corpo só a roupa improvisada…
Acariciaste-me… Senti-te… Acariciaste-te pra mim… Uma mão em ti… Outra em mim…
Enquanto com a tua mão me tocavas… Tocavas-te… Os nossos corpos estremeceram… E, pelo quarto elevou-se o perfume do Amor feito… Deitaste-te sobre o meu corpo e saboreaste-me… Saboreei-te…
O meu prazer foi o teu prazer…
Sobre mim ao ouvido num sopro disses-te:
- Fiz pra Ti, assim fui tua e foste meu, queria ver-te explodir de prazer para mim…

Abraçados adormecemos…